Manual TeatroSó quando o ritual se separa do religioso e passa a assumir uma vertente autónoma e profana é que podemos falar das primeiras manifestações teatrais propriamente ditas. É então que os figurinos adquirem a sua importância como um dos componentes do espectáculo. Essa importância tem-no entanto, oscilado ao longo dos séculos, numa história marcada por muitos factores, como sejam a evolução do traje e as inovações tecnológicas associadas (matérias-primas; tingimentos; confecção; decoração e acessórios; etc.), a evolução do espaço de representação, os meios financeiros disponíveis para a sua execução e a própria importância que lhes é atribuída relativamente a outros componentes do espectáculo, como por exemplo o texto.

Manual de Teatro é um compêndio organizado por temas, desenvolvidos a partir da sua contextualização histórica. Uma obra indispensável a quem se interesse por este métier. Do conceito de espaço à sua marcação, do som à iluminação, todo um glossário técnico do espaço cénico e suas ferramentas, disponível para consulta e com algumas das referências ilustradas.

O teatro nas suas diversas formas de expressão, da escrita ao encenador, do guarda-roupa ao papel dos atores, tudo se encontra neste livro. Esta é uma arte de palco, onde a deixa pertence ao ator. Não se pretende ensinar como se chega a esse domínio cénico mas fazer uma síntese de todos os recursos e, como bom manual que pretende ser, apresenta também uma lista de exercícios a realizar. Para todos os amantes do teatro.

Notas: Esta obra conta com um coletivo de autores, cada um cobrindo a sua área de especialidade. Esta é a sua quarta edição, agora pela Planeta.
Um manual de estudo, nos dias de hoje, deve obedecer ao AO.

Anúncios