Convite Do Medo a EsperancaDo Medo à Esperança, da autoria da historiadora social Raquel Varela e do psiquiatra António Coimbra de Matos é lançado dia 20.

Do Medo à Esperança é um livro escrito a quatro mãos, sobre como vencer o medo, social e individual. É um encontro inesperado entre uma historiadora social, do trabalho, dos movimentos sociais, da revolução portuguesa, e o pai da psicanálise em Portugal.
O mote para este livro é como reconstruir uma sociedade participativa sem que o coletivo esmague o indivíduo, como ser livre sem ser individualista. Do nosso bairro à história do país, das nossas relações afetivas ao que queremos para o futuro. Um livro que se lê sem parar, como uma longa conversa entre dois espíritos inconformados, dois sonhadores realistas que acreditam no futuro de Portugal.

Sinopse:
«No princípio não foi o verbo, foi a ação/relação. Não é a palavra, mas o gesto que cria o mundo», diz ele. «Somos o que fazemos. E somos o que fazemos para mudar aquilo que somos», recorda ela, lembrando Galeano. Ele é António Coimbra de Matos, 86 anos, médico, autor, e o nome mais respeitado da psicanálise em Portugal, como escreveu alguém. Ela é Raquel Varela, 37 anos, historiadora, com uma obra notável, e uma figura conhecida graças à sua presença corajosa como intelectual pública.
Nos primeiros meses de 2016, juntaram-se os dois à esquina, não para tocar concertina mas para refletir sobre os medos que afligem a sociedade portuguesa e a forma de os esconjurar. No consultório de Coimbra de Matos, num lugar calmo de Lisboa, foram trocando palavras, numa conversa transcrita e editada neste livro em grande medida instigada pela vida profissional de ambos – ela especialista em relações laborais e história do trabalho, ele psicanalista. «Diz-me como trabalhas, dir-te-ei que doenças tens», diz ele. «Cultivar, cuidar, construir. Não há nenhum direito “adquirido”: foram todos conquistados», conclui ela.»

Raquel Varela é historiadora, investigadora do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, onde coordena o Grupo de História Global do Trabalho e dos Conflitos Sociais, e do Instituto Internacional de História Social, onde coordena o projeto internacional «In the Same Boat? Ship building and ship repair workers around the World (1950-2010)».
É coordenadora do projeto História das Relações Laborais no Mundo Lusófono. É doutora em História Política e Institucional (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa). É, atualmente, presidente da International Association Strikes and Social Conflicts.

António Coimbra de Matos nasceu em Galafura (Trás-os-Montes) a 20 de dezembro de 1929. Psiquiatra, Pedopsiquiatra e Psicanalista, Professor na Faculdade de Psicologia de Lisboa e no ISPA por mais de três décadas. Em 2012, foi-lhe atribuído o título de Doutor Honoris Causa pelo ISPA. Diretor e Presidente de várias instituições e associações científicas, nomeadamente do Centro de Saúde Mental Infantil e Juvenil de Lisboa, da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, Sociedade Portuguesa de Psicossomática e da Associação Portuguesa de Psicanálise e Psicoterapia Psicanalítica. Autor de vasta obra científica, ganhou vários prémios e, em 2012, foi galardoado com o «Distinguished Psychoanalytic Educator Award» do International Forum for Psychoanalytic Education. A 10 de junho de 2013, o Presidente da República, atribuiu-lhe o grau de Grande-Oficial da Ordem da Instrução Pública.

Nota de Imprensa da Bertrand Editora.

Anúncios