BússolaA noite desce sobre Viena e sobre o apartamento onde Franz Ritter, musicólogo fascinado pelo Oriente, procura em vão o sono. Osci­lando entre sonhos e recordações, melancolia e febre, nesta noite de insónia, Franz revisita a sua vida, os seus entusiasmos, encontros e as numerosas estadias longe da Áustria – Istambul, Alepo, Damasco, Palmira, Teerão… –, mas questiona também o seu amor impossível pela exemplar e inalcançável Sarah, especialista da atração fatal que esse Grande Levante exerce sobre aventureiros, académicos, artistas e viajantes ocidentais. Assim se dá a conhecer um mundo de exploradores das artes e da sua história, de orientalistas modernos animados pelo puro desejo de combinações e descobertas que a atualidade contemporânea vem esbofetear.

Bússola, Prémio Goncourt 2015, é uma viagem e uma declaração de deslumbramento, uma busca do outro em nós e uma mão que se estende – como uma ponte erguida entre o Ocidente e o Oriente, entre ontem e amanhã, alicerçada num inventário amoroso de séculos de fascí­nio, de influências e de vestígios sensíveis e persistentes, que tenta mitigar os fogos do presente.

Nota de Imprensa da D. Quixote.

Anúncios