capa_a-chama-e-as-cinzasA Chama e as Cinzas, da autoria de João Barrento, constitui-se como um retrato da situação da literatura portuguesa no início do século XXI e do seu lugar no meio literário e social, na escola e na universidade.

A ideia, a estrutura e os conteúdos essenciais de A Chama e as Cinzas remontam à Feira do Livro de Frankfurt de 1997, quando Portugal foi país-tema. Aí, João Barrento fez uma série de conferências para o público alemão, com o objetivo de dar a conhecer a literatura portuguesa, nos seus géneros principais: o romance, o conto, e a poesia.

Tomando como ponto de partida esses testemunhos, o autor reformulou os textos originais, desenvolveu-os e completou-os para integrarem, de forma coerente, esta edição, que se apresenta agora ao público português.

Em A Chama e as Cinzas, João Barrento destaca obras e autores que considera paradigmáticos, entre outros, António Lobo Antunes, Lídia Jorge, Mário de Carvalho.
O autor, ensaísta e tradutor, publicou ensaios, críticas literárias e crónicas, e traduziu literatura de língua alemã, do século XVII à atualidade. Foi distinguido com o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, em 2012.

Sinopse:
Um trabalho que tem como corpo central um conjunto de textos do Professor João Barrento apresentados, em alemão, nas conferências de Frankfurt e que deram origem à obra Nelken und Immortellen_ Portugiesische Literatur der Gegenwart [Cravos e Perpétuas. A literatura portuguesa contemporânea] _ publicada pela editora Tranvía, de Berlim, em 1999. A estes junta-se um outro testemunho feito em português, em 2005, numa intervenção proferida no Brasil. Em todos eles o autor detém-se sobre a situação da literatura portuguesa no início do século XXI e do seu lugar no meio literário e social, na escola e na universidade. Naturalmente, todos os escritos originais foram reformulados, desenvolvidos e completados para poderem integrar um corpo coerente numa edição que se constitui como síntese, naturalmente aberta e pessoal, do panorama mais recente da nossa literatura.

joao-barrento

Sobre o autor:

Ensaísta e tradutor, João Barrento publicou diversos livros de ensaio, crítica literária e crónica, e traduziu literatura de língua alemã, do século XVII à atualidade. Tem sido distinguido com inúmeros prémios, de que é exemplo o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, 2012.

Nota de Imprensa da Bertrand Editora.

Anúncios