cadernos-iO regresso dos Cadernos de José Saramago. A Porto Editora publica a 13 de outubro as novas edições de Cadernos de Lanzarote I e Cadernos de Lanzarote II, os primeiros volumes dos diários de José Saramago. Publicados pela primeira vez em 1994 e 1995, respetivamente, estes cadernos relatam as vivências, reflexões e processos de escrita de Saramago, após ter ido viver para Lanzarote. Sobre o primeiro volume, escreveu Torcato Sepúlveda no Público que este livro se assemelha «a um guia das viagens do autor pelo mundo fora […] Mas é também, nos momentos mais íntimos e abandonados, um belíssimo livro, escrito numa língua luminosa que só os grandes romancistas conseguem atingir».
A caligrafia na capa de Cadernos de Lanzarote I é de Graça Morais, e a de Cadernos de Lanzarote II é de José Santa-Bárbara.

cadernos-ii«Este livro, que vida havendo e saúde não faltando terá continuação, é um diário.»
Em 1994, tendo saído de Portugal após ter sido alvo de censura pelo governo de Cavaco Silva no episódio da candidatura de O evangelho segundo Jesus Cristo ao Prémio Europeu de Literatura, Saramago editava o primeiro dos seus polémicos Cadernos de Lanzarote: «7 de agosto: Parabéns de Jorge Amado e Zélia pelos prémios. Que outros virão, ainda maiores, acrescentam, aludindo ao que consta ter sido dito por Torrente Ballester – que um destes dias me chega aí um telefonema de Estocolmo… Se esta gente acredita realmente no que diz, por que tenho eu tanta dificuldade em acreditar?»

Nota de Imprensa da Porto Editora.

Anúncios