um-otimista-na-americaEntre novembro de 1959 e maio de 1960 Italo Calvino fez a sua primeira longa viagem aos Estados Unidos, uma viagem que por várias razões se pode definir como «iniciática». Esteve sobretudo em Nova Iorque, a cidade que ele mais amou, a cidade que o absorveu «como uma planta carnívora absorve uma mosca». Visitou numerosos estados e centros urbanos – Cleveland, Detroit, Chicago («a verdadeira cidade americana, produtiva, material, brutal»), São Francisco, Los Angeles, Montgomery, Nova Orleães, Savannah («a mais bela cidade dos Estados Unidos»), Houston, tendo encontros com escritores, editores e agentes literários, mas também com homens de negócios, sindicalistas e ativistas pelos direitos civis (o primeiro dos quais foi Martin Luther King) e gente comum.

Ao tornar a Itália, deu forma acabada aos apontamentos de diário e à correspondência pública e privada daquela viagem que tanto o surpreendeu e enriqueceu a sua formação. Tinha a intenção de fazer um livro «como As Viagens de Gulliver. Aventuras, e sobretudo desventuras, certamente não me faltaram».

Nota de Imprensa da Dom Quixote.

 

Anúncios