Salman Rushdie, Julian Barnes, Martin Amis e Doris Lessing são alguns dos escritores que, em 1996, quando este livro foi publicado, se fizeram ouvir chamando a atenção para a sua importância. Joseph Mitchell, um dos grandes mestres do jornalismo nova-iorquino, tinha escrito as duas crónicas que compõem o livro –

ambas para a mítica revista The New Yorker, numa secção de «Perfis» das personagens mais variadas e exóticas da cidade – com vinte e dois anos de diferença entre elas: a primeira, O Professor Gaivota, em 1942; a segunda, que dá o título ao volume, em 1964, sete anos depois da morte de Joe Gould.

Mas, afinal, quem foi esse Joseph Ferdinand Gould, o cândido e inquietante protagonista destas notas biográficas?

Nota de Imprensa da D. Quixote.

a minha recensão

Anúncios