Chega no dia 18 de maio às livrarias, com chancela da Assírio & Alvim, o mais recente livro de poesia de Golgona Anghel, Nadar na Piscina dos Pequenos. Quatro anos depois de Como uma Flor de Plástico na Montra de um Talho, este é um livro em que se faz poesia da «prosa da vida» – recibos verdes, bolseiros, máquinas de jogos, filas no supermercado, procedimentos médicos.

Perfeitamente domesticada,
aparentando todo um rebanho de boas intenções,
atacava pela calada.

Desta vez, foi em pleno palco,
à frente de toda a gente.

Unhas e peles, braços em volta.
O bico dos abutres
a rasgar o dia em dois.

Ninguém gritou,
mas houve sangue.
Não me lembro se fui César,
se fui Bruto.

Golgona Anghel é doutorada em Literatura Portuguesa Contemporânea. Atualmente, é bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia e desenvolve um projeto de pós-doutoramento sobre cinema e literatura. Publicou dois livros de ensaio: Eis-me acordado muito tempo depois de mim, uma biografia de Al Berto, Cronos decide morrer, viva Aiôn, Leituras do tempo em Al. Na poesia, Crematório Sentimental, Vim porque me pagavam, e Como uma Flor de Plástico na Montra de um Talho.

Nota de Imprensa Assírio & Alvim.

Advertisements