SONY DSC

José Eduardo Agualusa acaba de vencer o International DUBLIN Literary Award, anunciado hoje na capital irlandesa. O prémio distingue o escritor angolano e o seu romance Teoria Geral do Esquecimento – numa edição particularmente forte, em que a shortlist final incluía obras de Mia Couto, Orhan Pamuk, Viet Thanh Nguyen e Anne Enright.

 

O International DUBLIN Literary Award tem o valor de 100 mil euros, sendo o maior do género para uma obra de ficção publicada em Inglês. Desde 1996 já distinguiu autores como Orhan Pamuk, Javier Marías, Michel Houellebecq, Colm Tóibin, Colum McCann, Jim Crace ou David Maalouf e Herta Müller. Ao longo das suas 21 edições, esta é a nona vez que o vencedor é um livro traduzido, e a primeira que elege um livro originalmente escrito em português.

Os candidatos a este prémio são nomeados por bibliotecas públicas selecionadas em todo o mundo, tornando esta distinção única na sua cobertura e alcance. Este ano, bibliotecas da Áustria, Bélgica, Brasil, Croácia, Dinamarca, Alemanha, Grécia, Irlanda, Polónia, Portugal, Rússia, Escócia, Suécia e Estados Unidos da América, participaram na selecção inicial, assim como na votação da shortlist de dez títulos, celebrando a excelência da literatura de hoje.

No caso de o livro vencedor ser uma tradução, o prémio monetário distingue o autor com 75 mil € e o seu tradutor com os restantes 25 mil €. O prémio é patrocinado pelo Dublin City Council e este ano a shortlist incluía livros de José Eduardo Agualusa (VENCEDOR/Angola), Mia Couto (Moçambique), Anne Enright (Irlanda), Kim Leine (Dinamarca/Noruega), Valeria Luiselli (México), Viet Thanh Nguyen (Vietname/EUA), Chinelo Okparanta (Nigéria/EUA), Orhan Pamuk (Turquia), Robert Seethaler (Áustria), Hanya Yanagihara (EUA).

José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. Os seus livros têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios nacionais e estrangeiros, como, por exemplo, o Grande Prémio de Literatura RTP (atribuído a Nação Crioula, 1998), o Grande Prémio de Conto da APE e o Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian, ou o Independent Foreign Fiction Prize (para O Vendedor de Passados, 2004). Em 2016, o romance Teoria Geral do Esquecimento foi finalista do Man Booker Internacional.

Desde 2013 que a sua obra começou a ser publicada pela Quetzal. Depois de A Vida no Céu seguiram-se Um Estranho em Goa (2013), A Rainha Ginga (2014), O Livro dos Camaleões (2015) e, no início deste mês, o seu mais recente romance, A Sociedade dos Sonhadores Involuntários, em paralelo com os seus livros anteriores – agora em novíssimas edições revistas de Estação das Chuvas, As Mulheres do Meu Pai, Nação Crioula, O Vendedor de Passados ou A Conjura, entre outros.

Nota de Imprensa Quetzal.

Anúncios