Entre Amigos | Amos Oz

A pureza de um Kibutz reside, em parte, na importância do trabalho físico que nos restitui a simplicidade e a pureza da primeira infância, e na partilha, não só dos bens, mas de um destino coletivo onde as diferenças sociais se esbatem numa união de iguais, onde cada um preserva a sua singularidade. Estas são as histórias possíveis do kibutz Ykhat, onde a gestão passou para os membros de segunda geração, já nascidos e criados no kibutz. Jovens sem a urgência de um pedaço de terra onde lancem as fundações da sua identidade, libertando-se, definitivamente, da diáspora.

 

Em Ykhat ainda subsistem, na escala de valores, a honestidade, a contenção e a bondade; virtudes que já não encontram lugar na sociedade competitiva dos dias de hoje. O brio de agir sempre de acordo com os princípios e a obsessão pelo bem comunitário levam o kibutz a não oferecer uma resposta para a solidão.

Os veteranos trocam a sua antiga religião por uma crença nova, uma fé na vivência coletiva do kibutz, igualmente cheia de pecados e transgressões, de interditos e leis rígidas. Os fundadores espreitam o futuro com a desconfiança de que a ambição individual transforme os kibutz em condomínios fechados para a satisfação burguesa de posse da terra.

Numa escrita precisa, onde as atitudes revelam mais sobre os personagens do que as palavras do narrador, e ponteada por um fino sentido de humor, Amos Oz deixa-nos o retrato da impossibilidade do regresso do homem à sua pureza primitiva. Nenhum pedaço de terra a que se chame casa é suficiente para o resgatar. Todos os locais do mundo são propícios a construir uma vida vazia de sentido, onde as questões solucionadas aprisionam mais do que libertam. Nestas histórias, encontramos homens e mulheres, de todas as idades, que procuram uma forma de se libertar, de encontrar um mundo seu que as permita respirar fora da sociedade do kibutz, numa eterna busca pelo amor e pela felicidade.

No kibutz de hoje, enquanto te manténs de pé todos esperam que caias, e se cais todos se precipitam para te levantar.

sobre o livro

citação