Nos dois últimos e intensos anos da sua vida (1955-1957), Lampedusa não só escreveu O Leopardo, mas também os três contos e o texto de caráter autobiográfico reunidos neste volume.

 

No entanto, só recentemente, após a descoberta de alguns manuscritos originais, foi possível submeter os textos curtos a um exame filológico rigoroso e, em particular, reconstruir na sua totalidade recordações de infância. Este texto, pelas suas referências autobiográficas, havia sido objeto de alterações e cortes substanciais, feitos a pedido da viúva de Lampedusa, a princesa Alessandra Wolff Stomersee, que controlava a publicação e a revisão dos inéditos de modo a construir uma sua versão oficial do marido como cavalheiro escritor.

Além de seguir as versões originais dos textos, esta completa edição de Os Contos de Tomasi di Lampedusa é enriquecida por fotografias dos manuscritos – que incluem desenhos da casa natal feitos pelo próprio escritor – e por um vasto trabalho crítico levado a cabo pelo filho, Gioacchino Lanza Tomasi.

Nota de Imprensa da Dom Quixote.