…assalta-te o receio de também teres passado “para o outro lado” e de teres perdido a relação privilegiada com o livro que só o leitor possui: o poder considerar o que está escrito como coisa acabada e definitiva, a que não há nada a acrescentar ou a tirar.

 

Se numa Noite de Inverno Um Viajante, de Italo Calvino, 2002 (2018 @ D. Quixote)

sobre o livro