Este conjunto de três ensaios foi escrito a partir de um sentido de urgência e preocupação, e na crença de que um futuro melhor ainda é possível.

O traço comum é a análise do fanatismo combinada com uma apologia à moderação. Independentemente do tipo de fé e do contexto em que o fanatismo – religioso, político ou cultural – se expressa, ele é, para Amos Oz, o verdadeiro inimigo do presente. Juntamente com este tema, Oz aborda a atual situação no Médio Oriente e o conflito israelo-árabe, apresentando com ousadia o seu argumento da existência de dois estados como solução para o que ele chama «a questão de vida ou de morte para o Estado de Israel».

Sábios, provocantes, comoventes e inspiradores, estes ensaios iluminam a discussão sobre a existência israelita, judaica e humana, lançando uma luz clara e surpreendente sobre questões políticas e históricas vitais. Um livro essencial, corajoso e nunca tão urgente como hoje.

Traduzido do Hebraico por Lúcia Liba Mucznik.

Nota de Imprensa da Dom Quixote.