Uma nova edição, revista de aumentada, de «Os Donos Angolanos de Portugal» chega às livrarias. Publicado pela primeira vez em 2014, o livro de Jorge Costa, João Teixeira Lopes e Francisco Louçã assume especial pertinência numa altura em surgem novos dados sobre o modo de operação de Isabel dos Santos, os seus financiamentos, as suas transferências de capital e as outras operações.

 

«A revelação da investigação jornalística conhecida como Luanda Leaks veio não só confirmar por inteiro o que tínhamos escrito, como também acrescentar novos dados que reforçam as nossas análises e conclusões», pode ler-se nesta nova edição. Na sequência destas revelações e da ação de autoridades judiciais em Angola e de reguladores em Portugal, tardia que fosse, uma parte das propriedades portuguesas de Isabel dos Santos foi posta à venda. Esta edição revista e aumentada inclui a análise do fim do império do BES, bem como do caso da filha de José Eduardo dos Santos.

Esta edição inclui uma análise aumentada e atualizada:
– Do percurso de Isabel dos Santos na economia portuguesa;
– Do alargamento da família política do MPLA em Portugal;
-Da chegada ao poder de João Lourenço e da viragem política que a sua presidência determinou;
-Da fuga de Portugal dos banqueiros angolanos;
-Do fim do BES Angola

João Teixeira Lopes é sociólogo e professor universitário. Publicou, entre outros, Geração
Europa? (2014) e é coautor de Os Burgueses (2014), As Classes Populares (2017) e as Classes
Médias (2019).

Jorge Costa é deputado, formado em jornalismo e coautor, entre outros livros, de Os
Burgueses (2014) e de Os Donos de Portugal (2010), sobre o qual realizou um documentário
com o mesmo título (2012).

Francisco Louçã é economista e professor universitário, e é coautor de Os Burgueses (2014),
As Classes Populares (2017), Sombras (2017) e as Classes Médias (2019), entre outros.

Nota de Imprensa da Bertrand Editora.