Este é um manual de economia, dividido em 14 capítulos, que parte do real para discutir a teoria, que promove a pluralidade de perspetivas e o pensamento crítico.

Francisco Louçã e Mariana Mortágua, dois nomes de respeito na esfera económica e política, escrevem Manual de Economia Política, um manual completo, rigoroso, com fórmulas e gráficos de apoio, que atualiza o trabalho iniciado por José Castro Caldas, também em parceria com Francisco Louçã, com o livro Economia(s), publicado em 2009..

A ciência económica está a viver uma mutação, desafiando as tradicionais teorias sobre o equilíbrio dos mercados, que imaginam uma sociedade artificial e reduzem a racionalidade à maximização das vantagens individuais, e substituindo-as por análises de processos dinâmicos em economias reais marcadas por desigualdades de poder. A transformação da ciência resulta também da sua obrigação de compreender novas (e velhas) questões, como as crises, a economia do clima, as transformações do trabalho, o reforço do rentismo financeiro e o papel das instituições e, nomeadamente, das novas redes de comunicação.
Este manual estuda essas dimensões da vida social e, para isso, recupera a ciência como foi criada pelos economistas clássicos, de Adam Smith a Marx, e depois transformada pelas correntes críticas do século XX e XXI, de Keynes a Stiglitz, Nelson, Piketty e tantas outras vozes. Lendo este pluralismo, o Manual de Economia Política percorre as principais contribuições para a compreensão do nosso mundo e para a decisão económica..

Nota de Imprensa da Bertrand Editora.