Terceiro livro de Manuel Alegre, depois de Praça da Canção e O Canto e as Armas, Um Barco para Ítaca foi escrito no exílio, em Argel, e publicado em Portugal em 1971, há precisamente 50 anos, por Nosso Tempo.

Reeditado pela Centelha, em 1974, foi levado à cena, nesse ano, por Norberto Barroca, na Casa da Comédia, e, mais tarde, por Vasco Pereira da Costa, no Teatro Gil Vicente, em Coimbra.

Uma 3.ª edição foi publicada na Planeta de Agostini.

Um Barco para Ítaca foi também incluído em 30 Anos de Poesia, Obra Poética e Poesia.

A presente edição é a 1.ª autónoma nas Publicações Dom Quixote.

Nota de Imprensa da Dom Quixote.