«Maria João Avillez escolheu sete intelectuais para ir à procura da resposta – um para cada estação. Os sete estão distribuídos pelas três gerações políticas do regime – os que começam a fazer política antes da revolução, …

…os que se formam na transição revolucionária e os que fazem carreira depois da consolidação democrática; representam as principais correntes políticas – dois são de direita, três centristas, dois sociais-democratas; todos fizeram política e só um nunca quis ocupar o seu lugar nas instituições democráticas – a lista inclui dois antigos primeiros-ministros, um ex-vice-primeiro ministro, dois antigos deputados europeus e o presidente da República; todos conheceram pessoalmente e têm relações próprias com os titulares da sua estação – um reclama uma relação fraterna; dois assumem uma relação filial; outros dois preferem uma distância crítica; e dois ainda são herdeiros ou, pelo menos, não recusam esse estatuto.»

Do Prefácio, de Carlos Gaspar.

Nota de Imprensa da Dom Quixote.