Pesquisar

Acrítico

Leituras dispersas

Categoria

Ensaio

Salvar o SNS

A Porto Editora e os autores, António Arnaut e João Semedo, apresentam o livro Salvar o SNS – uma nova Lei de Bases da Saúde para defender a Democracia Continue reading “Salvar o SNS”

Anúncios

A revolução Russa – 100 anos depois

A revolução Russa – 100 anos depois

A Revolução Russa teve um impacto decisivo no mundo atual, foi matriz ideológica e de ação para muitas revoluções e movimentos de libertação. Neste livro temos uma abordagem temática à revolução confiada ao contributo de um conjunto de autores.

António Louçã fala-nos da revolução e da sua génese social, numa convergência assimétrica da burguesia, operários e camponeses, tendo os operários assumido a sua liderança (já sob a influência de Lenine). Continue reading “A revolução Russa – 100 anos depois”

Para lá da “Geringonça” | André Freire

Para lá da “Geringonça” | André Freire

As alianças políticas em Portugal alicerçam-se mais na personalidade das suas lideranças do que no posicionamento ideológico dos partidos, esta é uma história marcada pelas afinidades e sensibilidades dos seus protagonistas. Mário Soares, desconfiado das derivas ideológicas do PCP (evidenciadas durante o PREC), vê-se condicionado a rejeitar qualquer acordo que viabilize um governo minoritário PS/PRD com o apoio parlamentar do PCP; em Abril de 1987, após a queda do governo minoritário do PSD na sequência de uma moção de censura apresentada pelo PRD. Continue reading “Para lá da “Geringonça” | André Freire”

A Revolução Russa – 100 anos depois

Na Rússia de 1917, foram-se frustrando entre Fevereiro e Outubro todas as expectativas de solução para os problemas mais elementares da sociedade. O poder dos sovietes – os conselhos de operários e soldados – era a única alternativa que restava para lutar por pão, paz e terra. Continue reading “A Revolução Russa – 100 anos depois”

Traços Fundamentais da Cultura Portuguesa | Miguel Real

Traços Fundamentais da Cultura Portuguesa | Miguel Real

Um país suspenso no tempo é um país que não se realiza, habitando uma excitação mental vazia de estímulos de orgulho, para a qual um pequeno feito (uma vitória numa competição internacional) sabe a triunfo imorredouro.

No português subsiste a consciência lúcida de que Portugal teve o “mundo na mão” e o perdeu por cobiça mercantil ou por desleixo, vendo outros povos tomar o seu lugar nesse mundo descoberto e na história. Em cada um de nós vive o assombro de nos sentirmos insignificantes depois de nos termos sabido gigantes na descoberta da totalidade do mundo. Aí reside a esperança de que o passado longínquo nos salve. Aí nasce a raiz salvífica: o facto de termos sido. Continue reading “Traços Fundamentais da Cultura Portuguesa | Miguel Real”

Caminhos e Destinos | Marcello Duarte Mathias

Das cartas de amor de Fernando Pessoa à diplomacia da Geração de 70, dos caminhos de Portugal aos destinos europeus, de Miguel Torga a Arthur Koestler, da arte fotográfica à pessoalíssima evocação de Biarritz, diversos são os temas que preenchem as páginas deste volume de crónicas e ensaios.
Livro que é também – por entre escritores e políticos, a memória de uns e o percurso de outros – um determinado retrato do nosso tempo.

Nota de Imprensa D. Quixote.

Traços Fundamentais da Cultura Portuguesa

Da autoria de um dos mais destacados estudiosos de temas da Cultura Portuguesa da última década, esta é uma obra fundamental para todos os que se interessam pela história, cultura e identidade nacionais.

Miguel Real aponta, nesta obra, as constantes históricas e as irrupções daqueles que considera serem os quatro complexos culturais que, cruzados,  Continue reading “Traços Fundamentais da Cultura Portuguesa”

” Miguel Real

Pela arte da palavra de padre António Vieira, Portugal, país de valor exíguo no século XVII, valendo apenas pelo legado dos territórios do Império, permanece desde então sebastianisticamente em estado inquieto de vigília, imagem perfeita de país suspenso no tempo, aguardando o «despertar», a «Hora!» pessoana, porque de novo cruzará os mares Continue reading “” Miguel Real”

Pussy | Howard Jacobson

Nos dias que se seguiram à última eleição presencial norte-americana, Howard Jacobson, o autor de «Shylock é o Meu Nome» e de «J», escreveu «Pussy», um romance cómico que, segundo o autor, tem como objetivo, oferecer aos leitores «a consolação da sátira selvagem».
Em resposta à vitória eleitoral de Donald Trump, Jacobson escreveu, em tempo recorde, uma ficção repleta de humor, no qual o vencedor do Man Booker Prize tenta dar sentido ao resultado eleitoral norte-americano. Continue reading “Pussy | Howard Jacobson”

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑