Pesquisar

Acrítico

Leituras dispersas

Categoria

Recensão

O homem das Cavernas | Jørn Lier Horst

O homem das Cavernas | Jørn Lier Horst

A escrita de Horst tem um timbre característico ao qual o leitor responde como quem encontra a sua zona de conforto. Gente comum atravessa as páginas dos seus livros, gente sem história, por vezes esquecidos ainda em vida e, no entanto, gente que acaba por desempenhar um papel nas nossas vidas. Continue reading “O homem das Cavernas | Jørn Lier Horst”

Anúncios
Featured post

o escuro que te ilumina | José Riço Direitinho

o escuro que te ilumina | José Riço Direitinho

Um voyeur observa os vizinhos nos prédios em frente ao seu. A rua interpondo-se como um abismo. A intimidade alheia não o satisfaz, o que o seduz são as histórias que cada um leva para o regaço da sua intimidade. Nutre por uma vizinha uma excitação platónica que o traz obcecado. A minha mais ousada fantasia sexual és tu, é a frase de abertura do livro. O abismo é o resguardo do confessionário. Continue reading “o escuro que te ilumina | José Riço Direitinho”

Featured post

Fabián e o Caos | Pedro Juan Gutiérrez

Fabián e o Caos | Pedro Juan Gutiérres

A Cuba, liberta do jugo de Batista, enfrenta os desafios da revolução mantendo-se atenta aos inimigos infiltrados, cujo primeiro sintoma revela-se pelos desvios ideológicos. Os comportamentos devem pautar-se pela seriedade, disciplina e pela correção, em suma: devem ser previsíveis. Continue reading “Fabián e o Caos | Pedro Juan Gutiérrez”

O Nervo Ótico | María Gainza

O Nervo Ótico | María Gainza

A grande arte abre-se aos pormenores, usa-os numa realidade mais complexa que remete para o universo singular do artista. A grande arte revela-se quando observada, nasce aí para se transformar em festim. María Gainza abriu o seu olhar culto e de leitora atenta à nossa intimidade. Continue reading “O Nervo Ótico | María Gainza”

Na Cabeça do Velho | António Barros

Na Cabeça do Velho | António Barros

Só em 1994, com as primeiras eleições multipartidárias, Moçambique encontrou o seu destino de país independente. Livre de tutelas internacionais, sempre tão solícitas em ditar condutas e formatar pensamentos, o país tinha necessidade de escutar a sua própria voz, de alimentar o arbusto que tem sede. Nunca foi tarefa fácil ou isenta de perigos. Continue reading “Na Cabeça do Velho | António Barros”

Estuário | Lídia Jorge

Estuário | Lídia Jorge.

Numa geografia incerta, que se depreende ser a de Lisboa (apesar dos nomes com toque sul-americano) e num tempo impreciso, que se percebe ser o nosso, decorre a saga da família Galeano. Uma família em perda, desestruturando-se, empobrecendo. Uma vez pobres, veem-se obrigados a partilhar a mesma casa, disputando entre si as melhores divisões. Continue reading “Estuário | Lídia Jorge”

Vítor Alves | Carlos Ademar

Vítor Alves | Carlos Ademar

Vítor Alves ficou conhecido como um dos ideólogos do MFA, vindo a desempenhar um papel ativo no pós-revoluçãocomo diplomata, ministro (sem pasta e da educação) e integrando o Conselho da Revolução. Não tendo deixado obra escrita, confiemos na biografia trazida à estampa por Carlos Ademar, que nos devolve o homem por inteiro, o militar e a sua visão política. Continue reading “Vítor Alves | Carlos Ademar”

Gente Séria | Hugo Mezena

Gente Séria | Hugo Mezena

Memórias da infância vividas num mundo rural há muito perdido num tempo em que os miúdos iam à catequese e acreditavam no poder da confissão. O registo mental dos pecados, convenientemente reduzido a escrito a fim de facilitar a confissão e atestar a sua sinceridade facilitando o perdão. Continue reading “Gente Séria | Hugo Mezena”

Um Gentleman em Moscovo | Amor Towles

Um Gentleman em Moscovo | Amor Towles

Privado da sua liberdade o Conde Rostov vê-se restringido ao hotel Metropol, a partir do qual, assiste às transformações de uma Rússia bolchevique. Um homem confinado a um espaço limitado, um Robinson Crusoé apanhado na tempestade de uma revolução. Continue reading “Um Gentleman em Moscovo | Amor Towles”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑