Pesquisar

Acrítico

Leituras dispersas

Etiqueta

Isabel Rio Novo

Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo

Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo

Ser tocado pelo inesperado, por alguém que nos precede em quase um século, eis a proposta de Isabel Rio Novo no seu romance mais recente. As pessoas que nos marcam transpõe barreiras físicas e temporais, e nada impede a sua presença, por vezes, tão intensa que fazem parte de uma narrativa pessoal. Continue reading “Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo”

Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo

Na capital francesa, vivem-se tempos de profundas transformações, com a abertura dos grandes bulevares e o despertar de uma nova corrente artísti­ca, o Impressionismo, que irá alterar o olhar dos indivíduos sobre a arte e o mundo. Continue reading “Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo”

Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo

Na capital francesa, vivem-se tempos de profundas transformações, com a abertura dos grandes bulevares e o despertar de uma nova corrente artísti­ca, o Impressionismo, que irá alterar o olhar dos indivíduos sobre a arte e o mundo. Continue reading “Rua de Paris em Dia de Chuva | Isabel Rio Novo”

O Poço e a Estrada | Isabel Rio Novo

O Poço e a Estrada | Isabel Rio Novo

Existe uma Agustina que se insinuou ao longo da sua imensa obra, fazendo-se presente nos episódios de infância, nas histórias, espaços e pessoas, algumas de passagem outras nem tanto. Isabel Rio Novo resgatou-a desse limiar de ficção. Leu a obra de Agustina, com uma atenção que não foi de encomenda, mas plena de paixão e cumplicidade de ser, igualmente, escritora. A leitura que dedicou à obra da biografada permitiu-lhe revelar, sem a secura de uma tese mas com a punção de um romance, como Agustina se disseminou ao longo da sua obra, o quanto a autora projetou nas suas personagens. Afinal, a biografada confessa encontrar nas suas referências, nos escritores que a influenciaram, uma criação do mundo. E isso, nos mortais – digo eu – é um compromisso para toda a vida. Continue reading “O Poço e a Estrada | Isabel Rio Novo”

Ler no Chiado

Isabel Rio Novo, autora do livro O Poço e a Estrada – Biografia de Agustina Bessa-Luís, será uma das convidadas do próximo Ler no Chiado. A sessão está marcada para o dia 21 de fevereiro, pelas 18h30, na livraria Bertrand do Chiado. Continue reading “Ler no Chiado”

O Poço e a Estrada | Isabel Rio Novo

Agustina Bessa-Luís é um dos grandes nomes da nossa literatura e uma figura absolutamente fascinante, com uma vida riquíssima, capaz de alimentar – como alimentou, na verdade – vários romances: os romances escritos pela própria Agustina. Nesta biografia, intitulada O Poço e a Estrada, da autoria de Isabel Rio Novo, descobriremos uma pessoa ainda mais interventiva e inesperada, e em alguns pontos ainda mais controversa. Continue reading “O Poço e a Estrada | Isabel Rio Novo”

A Febre das Almas Sensíveis | Isabel Rio Novo

A Febre das Almas Sensíveis | Isabel Rio Novo

As atormentadas almas sensíveis. Estamos no tempo da esperança, acredita-se que o repouso, a alimentação cuidada e o clima frio e seco da montanha realizam o milagre da cura da tuberculose, recorrendo ao internamento em ambiente termal, num misto de caridade e cuidados médicos especializados. Continue reading “A Febre das Almas Sensíveis | Isabel Rio Novo”

A Febre das Almas Sensíveis | Isabel Rio Novo

Portugal, primeira metade do século xx. Entre os males que assolam um país isolado e retrógrado, a tuberculose ressalta como uma das principais causas de morte.

Ainda sem recursos farmacológicos para combater a doença, os médicos recomendam aos infetados o internamento em sanatórios instalados em zonas de altitude. Na serra do Caramulo, outrora uma região pobre e agreste, cresce uma estância sofisticada que, no auge do seu funcionamento, chega a acolher milhares de doentes. Continue reading “A Febre das Almas Sensíveis | Isabel Rio Novo”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑