Pesquisar

Acrítico

Leituras dispersas

Etiqueta

João Ricardo Pedro

Um Postal de Detroit, de João Ricardo Pedro

Um Postal de DetroitUm Postal de Detroit by João Ricardo Pedro

A 11 de Setembro de 1985, pelas 18:30 (sim, podemos dizer que foi o nosso 11 de Setembro), em Alcafache, deu-se a colisão de dois comboios de passageiros. Eis o evento que motiva a ação do livro. O narrador, logo nas primeiras linhas, assume-se como alguém Continue reading “Um Postal de Detroit, de João Ricardo Pedro”

Contos Capitais

Contos CapitaisContos Capitais by Varios

Neste livro, como uma página em branco, confiou-se uma cidade a cada escritor. Trinta escritores para trinta contos, para trinta capitais, um mundo de Contos Capitais.

Filipa Vera Jardim reinventou com desassombro o mito do estripador de Londres. Um estripador de sonhos, de consciências ocultas nas sombras que projetamos, capaz, de um só golpe, resgatar toda a memória, de extirpar a rotina exausta de uma vida de semiexistência.

Baptista Bastos abre uma varanda a um momento de reflexão e fá-lo numa escrita doce e tranquila.

Maria do Rosário Pedreira oferece-nos uma Paris onde uma família vê sua felicidade ameaçada pela sombra da doença e é resgatada por quem procura alimentar-se dessa fragilidade.

Continue reading “Contos Capitais”

O Teu Rosto Será o Último – Prémio LeYa 2011

O Teu Rosto Será o ÚltimoO Teu Rosto Será o Último by João Ricardo Pedro

A meio da noite, em plena guerra da Guiné e sujeitos a uma chuva torrencial, dois homens travam um diálogo. Estão ambos sujeitos às mesmas contingências impostas pela guerra; molhados, sob a ameaça de uma emboscada, travam um diálogo imposto pelo tenente-coronel António Spínola ao qual responde o furriel António Mendes.

“O furriel António Mendes, com ar de quem acabara de acordar de um sonho, apressou-se a explicar que não se tratava de nenhum exercício militar, e que o único problema que a viatura apresentava era a ausência da habitual capa de lona, extremamente útil quando, como era o caso, chovia.
O tenente-coronel António de Spínola olhou o furriel António Mendes de alto a baixo e perguntou-lhe de onde era.
O furriel António Mendes disse-lhe o nome da aldeia onde nascera e vivera até abraçar a vida militar.
O tenente-coronel António de Spínola perguntou-lhe onde ficava isso.
O furriel António Mendes respondeu-lhe que ficava no concelho do Fundão.

Continue reading “O Teu Rosto Será o Último – Prémio LeYa 2011”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑