Pesquisar

Acrítico

Leituras dispersas

Etiqueta

Maria Teresa Horta

Quotidiano instável | Maria Teresa Horta

Quotidiano instável | Maria Teresa Horta

A grande literatura vive do olhar atento do narrador sobre os dias informes, sobre a distância que nos separa do outro e se deixa contaminar pela sua presença. Nunca, como nestas crónicas, esse olhar foi tão longe, transformando-se no próprio narrador, promovendo cada pormenor a protagonista, convidando-o a contracenar dramaticamente com a ação de se vai desenrolando, ação essa quase sempre remetida para segundo plano. Minimalista, mas intensa. Estamos perante o gesto, o esboço de uma intenção, o desejo de um afago que mal se concretiza, e nesse momento, o ambiente é magistralmente convocado a entrar na história, num travelling lento, seguro, abrindo-se em dimensão e profundidade. Continue reading “Quotidiano instável | Maria Teresa Horta”

“Maria Teresa Horta

A manhã tinha um tom doce a descer sobre as ruas, um tom a descair displicentemente, a entornar-se como líquido peganhento e grosso. Continue reading ““Maria Teresa Horta”

Quotidiano Instável | Maria Teresa Horta

Quotidiano Instável é o título da coluna publicada por Maria Teresa Horta no suplemento «Literatura & Arte» do jornal A Capital, entre 1968 e 1972. Continue reading “Quotidiano Instável | Maria Teresa Horta”

Eu Sou a Minha Poesia | Maria Teresa Horta

Eu Sou a Minha Poesia reúne uma seçecção feita por Maria Teresa Horta do poemas que a autora considera serem os essenciais da sua obra. Continue reading “Eu Sou a Minha Poesia | Maria Teresa Horta”

Estranhezas | Maria Teresa Horta

Sem iludir (como nos demais livros não-temáticos) uma unidade essencial, Estranhezas desdobra-se por sete capítulos que não encobrem uma continuidade quase vital: No Espelho, Paixão, Da Beleza, Alteridades, Tumulto, Ferocidades e À Beira do Abismo. Continue reading “Estranhezas | Maria Teresa Horta”

A Paixão Segundo Contança H. | Maria Teresa Horta

Quando Henrique H. lhe dá a conhecer a sua traição, a paixão de Constança transfigura-se. Em tempos que se desdobram e sobrepõem, chegam-lhe do passado as queixas de uma trisavó sobre o marido todo-poderoso, ao passo que da infância revive com nitidez os momentos mais dolorosos: o abandono pela mãe, sua primeira paixão, quase seguido da trágica morte da avó, fonte única de afecto e segurança. Continue reading “A Paixão Segundo Contança H. | Maria Teresa Horta”

Poesis | Maria Teresa Horta

O novo livro de Maria Teresa Horta, Poesis, é uma reflexão sobre a poesia e, também, um retrato poético sobre a vida da própria autora enquanto poetisa, com vários poemas alusivos ao seu percurso pessoal, abordando as dificuldades e as perseguições de que foi alvo enquanto mulher e autora de poesia erótica.

Nota de Imprensa D. Quixote.

EMA – Livraria Leya na Buchholz

ema_lanc

Apresentação da nova edição do romance EMA, de Maria Teresa Horta, quinta-feira, 16, às 18h30, na Livraria Leya na Buchholz.

Sobre o livro.

 

Ema – Maria Teresa Horta

emaA mulher vagueia no universo repressivo da casa. Poderia ser a mesma onde a avó fora morta pelo avô, ou de onde a mãe saíra, louca, para o hospital psiquiátrico. Ema é o nome de todas elas. Como o da antepassada tomada pelo terror após ter parido uma menina, sem dar ao homem com quem casara um filho varão. Continue reading “Ema – Maria Teresa Horta”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑