Pesquisar

Acrítico

Leituras dispersas

Categoria

Nota de Imprensa

José Eduardo Agualusa vence International DUBLIN Literary Award

SONY DSC

José Eduardo Agualusa acaba de vencer o International DUBLIN Literary Award, anunciado hoje na capital irlandesa. O prémio distingue o escritor angolano e o seu romance Teoria Geral do Esquecimento – numa edição particularmente forte, em que a shortlist final incluía obras de Mia Couto, Orhan Pamuk, Viet Thanh Nguyen e Anne Enright. Continue reading “José Eduardo Agualusa vence International DUBLIN Literary Award”

Agência de Detectives N.2 | Jørn Lier Horst

Conhecido por ser um dos mais notáveis autores de policiais nórdicos, Jørn Lier Horst apresenta-nos, desta feita, dois livros para um público mais juvenil, brilhantemente ilustrados por Hans Jørgen Sandnes. Histórias simples, mas repletas de acção, conduzidas por dois amigos que contam com a preciosa ajuda de um cão para deslindarem os seus casos mais misteriosos. Continue reading “Agência de Detectives N.2 | Jørn Lier Horst”

A Casa das Tias | Cristina Almeida Serôdio

Uma acidentada herança dá a M. a casa das tias solteiras, irmãs do avô, que visitava nos Setembros da sua infância. A visita à casa fechada há muitos anos e a passagem pelos seus lugares privados faz-se na companhia de uma velha amiga de escola, que a pedido de M., a partir do que ouve e vê, inventa e compõe uma história de família. Continue reading “A Casa das Tias | Cristina Almeida Serôdio”

Caminhos e Destinos | Marcello Duarte Mathias

Das cartas de amor de Fernando Pessoa à diplomacia da Geração de 70, dos caminhos de Portugal aos destinos europeus, de Miguel Torga a Arthur Koestler, da arte fotográfica à pessoalíssima evocação de Biarritz, diversos são os temas que preenchem as páginas deste volume de crónicas e ensaios.
Livro que é também – por entre escritores e políticos, a memória de uns e o percurso de outros – um determinado retrato do nosso tempo.

Nota de Imprensa D. Quixote.

Swing Time | Zadie Smith

Duas raparigas mestiças sonham ser dançarinas – mas apenas uma, Tracey, tem talento. A outra tem ideias: sobre ritmo e tempo, sobre corpos negros e música negra, sobre o que constitui uma tribo ou torna uma pessoa verdadeiramente livre. É uma amizade de infância, forte mas complicada, que termina abruptamente aos vinte e poucos anos, para nunca mais ser revisitada, mas também nunca ser completamente esquecida. Continue reading “Swing Time | Zadie Smith”

Peregrinação de Barnabé das Índias | Mário Cláudio

Na escumalha da tripulação da armada que ruma às Índias segue Barnabé, jovem grumete, natural das cercanias de Lamego, e portador de um segredo. Sujeito ao mais bruto serviço, vive, mesmo assim, junto do capitão e de seu irmão Paulo, aventuras inimagináveis para alguém da sua condição: atravessa o mar e os seus mostrengos, as tempestades de fora e as interiores, a euforia de se definir homem, e fragilíssimo como tal.

Continue reading “Peregrinação de Barnabé das Índias | Mário Cláudio”

Seja Feita a Tua Vontade | Paulo M. Morais

Um médico octogenário, cansado de lutar contra os bichos que imagina devorarem-lhe o corpo, decide que não quer continuar a viver. Metódico e informado, prepara a sua morte: ocupa um quarto da casa, comunica à família as suas intenções e deixa, pura e simplesmente, de se alimentar. Apesar do choque inicial que a notícia provoca, um dos netos resolve ajudá-lo a cumprir a sua última vontade. Visita-o diariamente, e as horas que passam juntos a rememorar o passado e a conversar sobre os tempos que se aproximam constituem uma terna despedida, uma espécie de luto pacificado. Continue reading “Seja Feita a Tua Vontade | Paulo M. Morais”

Poesis | Maria Teresa Horta

O novo livro de Maria Teresa Horta, Poesis, é uma reflexão sobre a poesia e, também, um retrato poético sobre a vida da própria autora enquanto poetisa, com vários poemas alusivos ao seu percurso pessoal, abordando as dificuldades e as perseguições de que foi alvo enquanto mulher e autora de poesia erótica.

Nota de Imprensa D. Quixote.

Alma de Viajante vence Bloggers’ Open World Awards 2017

Alma de Viajante venceu a categoria Blog dos prémios Bloggers’ Open World Awards, promovidos pela momondo.

Nas palavras da organização, a categoria Blog distingue a qualidade da escrita (os “artigos devem ser interessantes, informativos”, num “estilo coerente e próprio”) e o design. Quer isso dizer que, apesar de não termos vencido a votação online (que elegia o segundo classificado), para o júri especializado dos Open World Awards o Alma de Viajante é o melhor blog de viagens português. Ou, pelo menos, o blog de viagens mais bem escrito. Não é coisa pouca. Continue reading “Alma de Viajante vence Bloggers’ Open World Awards 2017”

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑